segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Sobre as séries, rapidamente

Weeds - Desilusão. Está certo que falam de sexo, droga, vibradores e palavrões à vontade mas depois lá vem o drama fácil que faz com que cada episódio acabe com uma música lamechas e ela a chorar. Além disso, ela, a protagonista, fala sempre como se estivesse engasgada e precisasse de uma palmada nas costas ou até uma heimlich maneuver.

24 - É boa, mas como vi a estreia em plena Nova Iorque, cheguei cá e armei-me em boa repetindo a toda a gente "Ah, eu já vi esses episódios quando estive em Nova Iorque" e depois perdi o fio à meada e deixei de ver.

Grey´s Anatomy - É a Ally Mcbeal dos médicos. Drama de faca e alguidar, muita música má com imagens em câmara lenta. Mas eu vejo, atenção. Primeiro porque papo qualquer série de médicos, e segundo porque o apaixonado da Grey é mesmo muito giro assim ao estilo Sean Penn.

Desperate Housewives - Muito bem escrita. É divertida, descontraída e com roupas giras. Aquela locução melosa e arrastada é que já irrita.

Nip/Tuck
- Por vezes drama a mais, o que faz dela má. Por vezes promíscua, o que faz dela boa.

House - Vale por ele, se bem que precisa de ganhar um certo vigor na próxima temporada. E, digam o que disseram, a Cuddy é feia e podia fazer de transexual.

Ugly Betty - Adoro. Tudo é bom nesta série, excepto o argumento. Portanto, sobram as personagens e os cenários, sim, porque a realização também não é grande coisa. Bom, então, o genérico é bom, a Betty é feia, gorda e com as melhores piores roupas de sempre, a recepcionista e o Marc têm piada, e o sobrinho gay da Betty vale quase a série toda.

My name is Earl - A mais descabida de todas. As personagens são melhores ainda do que na Betty, mas com um argumento genial.

Prison Break - Entusiasmante com banda sonora a condizer. Mas, pelos vistos, não o suficiente para me prender (trocadilho fácil a que recorri sem querer).

Lost - O vício. Intrigante e inteligente. Mas também, acho que veria uma série em que o Jack, a Kate e o Sawyer estivessem só a jogar às cartas.

American Dad - Tão estúpida quanto óptima.

The Simpsons - A que nos faz acreditar na imaginação inesgotável. Perfeita, com piadas perfeitas. O facto de ser intemporal faz com que seja uma série fora de série (trocadilho fácil a que recorri de propósito).

10 comentários:

ILG disse...

Indignação! O American Dad... estupido?! É do humor mais inteligente que tenho visto. How could you?

estevão disse...

Indignação 2! Cuddy rules (Literalmente, gere o Hospital...)

Rita disse...

A série é estúpida no sentido de ser nonsense, principalmente se pensarmos que a família vive com um peixe alemão falante e com um E.T. gay. Mas é óptima, repito.

Quanto à Cuddy, nesses parâmetros tem toda a razão Sr. Estevião.

framboesa disse...

The Simpsons - do melhor...
tens desafio no meu blog. ;)

MLambertini disse...

Weeds- Vi, uma única vez, há muitos anos quando era jovem, num concerto dos Pink Floyd.

kiss me disse...

A Cuddy já fez de transsexual ;)

Sim, o namorado da Grey é que podia estar ali sentado a fazer paciências que eu gostava da série na mesma...

Mãos de Veludo disse...

american dad é mais estupido e idiota que optimo... simpsons sim... imortais! :D my name is earl: simplesmente PERFEITA! é brilhante, inteligente, cómica, e com actores excelentes.. sim, sou viciada nela! by the way, adorei o blog! :D

Proteus disse...

Só posso dizer que me diverti imenso a ler este post genial.
Numa frase:

Um post assim para o abjeccionista portanto perfeito.

Daniela disse...

Então e o Family Guy?
Mto melhor que o American Dad...

Anónimo disse...

Amiable post and this post helped me alot in my college assignement. Gratefulness you as your information.